quarta-feira, 28 de maio de 2008

NO SILÊNCIO


Meu Anjo me sorriu nesta leveza
das folhas flutuando pelo ar.
E foi assim
que enfim
tive a certeza
que no silêncio se liberta a alma presa
um pouco já cansada de lutar

Meu Anjo me falou devagarinho
no silêncio da tarde tão dourada.
E era longa
a sombra
no caminho.
E tão quieta a luz,
tão habitada.

In, Pelo Caminho das Fadas - Mª Luísa Barreto, Centro Lusitano de Unificação Cultural



Sem comentários: